Temer define com aliados estratégia para votação da denúncia na Câmara


O presidente Michel Temer se reuniu, na noite deste domingo (30), com ministros e deputados da base aliada para discutir as estratégias para barrar o prosseguimento da denúncia contra ele para o Supremo Tribunal Federal (STF).

O presidente chegou ao Palácio da Alvorada por volta das 19h45, e já era aguardado por alguns deputados.

Segundo o G1 apurou, o Planalto concentrará as articulações em deputados de PSDB, DEM e PSB. Levantamentos internos do governo indicam a possibilidade de parlamentares dessas três legendas aliadas se posicionarem a favor da denúncia contra Temer.

Um dos principais responsáveis do Planalto para monitorar o cenário no Congresso, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, tem analisado os “mapas” apresentados por diferentes deputados e comparado com os próprios levantamentos do palácio.

Viagem ao Rio

Antes da reunião com aliados, o presidente Michel Temer foi ao Rio de Janeiro em mais um ato para tentar impor uma agenda positiva antes da análise da denúncia de corrupção. A ida ao Rio incluiu uma visita ao comando das operações federais de segurança pública em território fluminense.

Na semana passada, Temer assinou decreto que autorizou o uso do Exército, da Marinha e da Aeronáutica na segurança ostensiva do Rio de Janeiro para tentar controlar a escalada da violência no estado.

A denúncia da PGR

Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Temer foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria Geral da República, por corrupção passiva.

O STF só poderá analisar a denúncia, porém, se a Câmara autorizar. Para o processo seguir para a Corte, são necessários os votos de, pelo menos, 342 deputados contra Temer.

Deixe uma resposta