9 contra 1


A bela Cidade Jardim de Sergipe, literalmente não é para amadores. Após quase um ano de imbróglios envolvendo a famosa “chapinha”, que agora respira um ar de tranquilidade momentânea, alguns vereadores, adotaram uma tática parecida ao criarem o G9, um grupo fechado e escolhido a dedo quem pode participar, tudo não passa de cálculos e mais cálculos com o objetivo de reconduzi-los à Câmara Municipal.

As primeiras informações seriam de que Sandro de Bibi (PSD), Kaique Freire (PV), Zé da Paz (PSD) e Dode (PSC) foram os mentores da criação do chamado G9, mas, após apuração com mais algumas fontes, foi ventilado que os parlamentares Jorginho da Praia, Alinete Soares, Léo de Fá, Matheus Noventa e Tertuliano Pereira, foram os responsáveis em chamar os quatro para criarem o G9, que segundo interlocutores contará ainda com a participação dos ex-vereadores Tito Magno e Pedro Benjamim. Mas, o que realmente chama a atenção é que esse grupo não aceita o vereador Flávio Brasil (PSD) no chapão.

De acordo com alguns parlamentares, o vereador Flávio Brasil quis fazer carreira solo ao se aproximar do pré-candidato e atual presidente do PDT em Estância, Joaquim Ferreira, hoje, considerado um adversário político do grupo liderado pelo prefeito Gilson Andrade (PSD) e consequentemente pelo vice-prefeito André Graça (PP). Segundo os mesmos, Flávio tentou se viabilizar numa possível chapa com o pedetista, que até agora, não conseguiu ampliar o arco de alianças.

O fato é que a engenharia para acomodar Flávio Brasil terá que ser gigantesca, já que os nove parlamentares da base (G9) não aceitam disputar no mesmo partido que ele, e vão além, ao relatar que o mesmo será expulso do partido, porque André Graça não vai deixar de ficar com 9 para ficar com 1.

Ao que parece, tem muito rojão de espada para queimar na Capital Brasileira do Barco de Fogo.

 

Por Cláudio Hiroshy

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.