Ao lado de André Moura e Misael Dantas, Gilson Andrade afirma que pode apoiar Lula pra presidente: a quem ele quer enganar?


O prefeito de Estância Gilson Andrade, atualmente no PSD, que é o mesmo partido do governador Belivaldo Chagas, falou nessa quinta (31) em entrevista ao programa Dia a Dia Notícias (o seu preferido) sobre suas definições eleitorais e expondo “curiosidades” que renderam comentários diversos nas redes sociais e em grupos de debates políticos no WhatsApp. Foram tantas as peripécias verbais, a tal da verborragia, que nós elencamos aqui alguns pontos em destaque:

  1. Segundo pesquisas, o povo estanciano não quer ver Gilson Andrade deputado federal

Gilson Andrade desistiu de ser candidato a deputado federal e disse que o motivo é que pesquisas realizadas davam conta que a população não aderiu a essa ideia, o que dá a entender que o prefeito apareceu fraco nas intenções de votos. Mas vale lembrar que essa decisão confronta uma tese ventilada nos quatro cantos de que haveria aí um acordo com o seu vice que assumiria a prefeitura sem precisar disputar eleição, já que o prefeito teria que renunciar ao cargo para disputar uma cadeira na Câmara federal. Pelo visto, vai ficar só na “sicura”, que é como se falava na minha infância dos tempos de meninos quando estes queriam muito uma coisa, mas nem sempre conseguiam…

  1. Gilson Andrade vai de André Moura federal e Misael Dantas estadual: uma chapa de extrema direita e Bolsonarista

Esse ponto é o auge. Pois é fim de uma verdadeira novela mexicana sobre quem seria escolhida pra ser a/o candidato da gestão a deputada estadual, ao que parece os planos de Gilson foram cortados pela cepa, já que o até o momento, o prefeito Gilson Andrade queria muito que a sua candidata fosse a sua própria filha, Gabriela Menezes. Confesso que esse colunista aqui ficou surpreso com a escolha, mas também não se trata de nada tão difícil assim de entender.

Gilson Andrade também declarou apoio a pré-candidatura de André Moura para deputado federal, mesmo após aquela situação do processo que envolve a prefeitura de Pirambu, que repercutiu na imprensa recentemente e condenou, até então, o pré-candidato a senador (“lançado” por Gilson, inclusive) a 8 anos de prisão em regime fechado. Não sei como vai encerrar esse imbróglio judicial que impede até mesmo candidaturas, mas toda essa lealdade de Gilson Andrade nos leva a pensar que os seus compromissos políticos com André Moura não lhe deram alternativas senão acatar.

Curiosamente, Gilson Andrade declarou ser de grupo e por isso pode vir a apoiar Lula, mesmo já definindo seus apoios a figuras notadamente da extrema direita e Bolsonaristas. André Moura foi protagonista na articulação do impeachment de Dilma, sendo considerado braço direito de Eduardo Cunha na época. Também foi líder do governo ilegítimo de Michel Temer, momento de grande retrocesso com a PEC do congelamento, o avanço das reformas trabalhistas e previdenciárias, a liberação das Terceirizações irrestritas. Em seguida André Moura foi ao Rio de janeiro e ocupou o cargo de secretário de governo do fascista Wilson Witzel, que assim como Cunha também acabou preso. Ou seja, integrou o alto escalão de um governo de ultradireita liderado por um paranoico fascista.

Já em Estância, o advogado Misael Dantas além de ter recentemente declarado desde já que apoiará a reeleição de Bolsonaro, o atual presidente da Câmara e ex-líder de Gilson, nunca negou seu perfil extremamente conservador e ainda tem fortíssima rejeição entre defensores dos direitos humanos, em especial as comunidades LGBTQIA+.

Então como é que vai ser isso na campanha, de pedir voto movendo a máquina política para Bolsonaristas e afirmando que pode apoiar Lula para presidente?

Tudo isso me leva a crer que das duas uma: ou Gilson Andrade está muito enfraquecido ou deve estar querendo enganar alguém, quem seria?

Além do mais, já há fortes burburinhos de que gente ligada a gestão, do agrupamento do prefeito Gilson Andrade que já afirmou que não seguirá o prefeito no apoio eleitoral, até mesmo vereadores da base, a exemplo de Kaique Freire que notadamente já está “correndo por fora” e que, curiosamente até foi “premiado” politicamente como mais novo vice-líder do prefeito na Câmara de Vereadores. Será que Gilson vai lavar as mãos e não se empenhará, ou será que águas ou até cabeças, irão rolar? Estaria Gilson Andrade agindo por contrariedade e frustração? Pois o prefeito, nitidamente afobado nas declarações, também disse que vem por aí uma grande reforma administrativa, com mudanças de cargos na gestão.

Será que vai “balançar a jaqueira”? Quem viver verá.

Por Bira Palmarino

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.