“A CPI deve afastar o prefeito e, ao final, ele deve ser cassado”, diz vereador Landinho sobre Sandro, prefeito de Cristinápolis


Na manhã desta terça-feira, 13, o Jornal da Fan, da Rádio Fan Fm, conversou por telefone com o vereador Landinho (PDT), do município de Cristinápolis, onde uma Comissão Parlamentar de inquérito (CPI), está na iminência de ser implantada.

Esta é a segunda CPI da história política da cidade. Intitulada como “CPI dos Contratos”, a ocorrência da investigação é certa, uma vez que o requerimento da CPI já foi aprovado, assim como também já foi definida a composição doe membros que farão parte da Comissão.

“Já está tudo definido. Só falta decidir as audiências públicas, a maneira como essas audiências acontecerão e quem serão as pessoas notificadas”, diz Landinho.

Um fato que chama a atenção no caso em questão é que, apesar do prefeito da cidade, Sandro de Jesus, ser do Partido dos Trabalhadores (PT), os vereadores que também pertencem à legenda não apenas assinaram favoravelmente à implantação da CPI, como foram fundamentais para que a investigação fosse instaurada.

“Os vereadores do PT foram fundamentais para alcançar o número de assinaturas necessário, segundo o regimento interno. Isso tudo mostra como o problema é gritante. O fato determinado é sobre os contratos firmados pelo prefeito desde o primeiro ano de mandato, que se aproveitou da situação da pandemia e abriu decretos emergenciais de calamidade pública e assim, de forma descontrolada, acabou contratando serviços desnecessários”, ressalta o vereador.

Landinho aproveitou para citar alguns desses contratos tidos como suspeitos e reforçou que tanto o Ministério Público, quanto o Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e a Administração Pública (Deotap), já estão em posse de todas as informações.

“Um desses contratos é de serviço de aluguel de carros. Como é que você sucateia, de forma proposital, a frota de veículos do Município para assinar um contrato de mais de R$ 4 milhões. É algo desproporcional em comparação a outras cidades. Outro fato que vale destaque é um montante de R$ 9 milhões, referentes às emendas do Orçamento Secreto. Existem pessoas que receberam valores altos para a prestação de serviços que não foram realizados, como aluguel de veículos e reforma de escolas. A gente está tentando saber aqui para onde foi esse recurso, mas não teve transparência no processo. O que essa CPI vai investigar, se forem somados todos os valores, ultrapassa em muito esse valor de R$ 9 milhões”, revela o vereador.

Em muitos casos, a instauração de uma CPI acaba servindo como ferramenta de pressão ao governo, por parte de alguma bancada, para se alcançar alguma forma de barganha política. Mas neste caso, em específico, Landinho afirma que não.

“A coisa é séria. Na minha concepção, a CPI tem que trazer justiça social. Tem que vingar o povo de toda a lesão que está sento feita. Uma coisa eu posso afirmar: o fato determinado existe, é verídico e a corrupção dentro disso é grande. E o vice-prefeito também está envolvido. No mínimo, a CPI deve afastar o prefeito e, ao final, ele deve ser cassado. A minha expetativa é positiva”, diz o vereador.

Fonte: Fan F1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.