Academia Estanciana de Letras marca presença na abertura do ano acadêmico da Academia Dorense de Letras


 

No último dia 18 de março, a Academia Estanciana de Letras – AEL, representada por seu presidente Acadêmico Dailton de Castro Silveira, acompanhado da sua esposa Selma Silveira, dos Acadêmicos Domingos Pascoal de Melo, Maria Salete da Costa Nascimento, Hélio de Souza Oliveira, Solange Gama, Presidente da Academia Cristinapolitana de Letras, prestigiaram a Academia Dorense de Letras – ADL em Sessão Especial para a abertura do ano acadêmico, bem como a transmissão de cargos para a nova Diretoria Biênio 2022/2023 que tem como presidente a Acadêmica Maria de Lourdes Santos Cerqueira, e entrega de Comendas a personalidades Dorense.

O ex-presidente Acadêmico Luís Carlos de Jesus no seu discurso de despedida agradeceu a Deus pela oportunidade de presidir a ADL por dois mandatos e expressou gratidão aos Confrades, Confreiras e amigos pelo apoio recebido durante o seu mandato à frente da ADL.

“Sinto-me bastante honrado pelo convite recebido da ADL para participar dessa solenidade, e desejo a presidente Maria de Lourdes (conhecida como professora Lulu) sucesso e sorte à nova gestão Biênio 2022/2023, que Deus na sua plenitude abençoe a todos que fazem a ADL e da mesma medida ao povo Dorense, disse Dailton de Castro Silveira.

Leia na íntegra o discurso da Presidente da ADL:

TRECHOS DO DIASCURSO DE POSSE DA PRESDIENTE DA ACADEMIA DORENSE DE LETRAS

Ilustres membros da mesa, Senhoras acadêmicas, senhores acadêmicos, Minhas senhoras, meus senhores e familiares.

 Ao começar questiono os presentes: O que fazemos todos nós, nessa noite, após os desafios vividos nestes dois últimos anos?   O que nos tirou do conforto de nossas casas, das nossas cidades, das nossas programações pessoais ou deste novo tempo das novas tecnologias?

 Talvez a resposta fosse essa, a saudade de uma época em que as pessoas se encontravam de verdade, olho no olho, se abraçavam e partilhavam sonhos como também prestigiar este momento impar que estou vivendo compartilhando com a presença de vocês.

Outra resposta possível é a que move, com certeza, o coração de muitos de nós que aqui estamos hoje: o amor pela Cultura. Pois a Cultura não é apenas um conjunto de representações artísticas da realidade. Ela é o solo a partir do qual os povos erguem as suas identidades, ordenam seus modos de ser e de viver, concebem suas visões de mundo e seus projetos de vida……  Também nos reúne hoje aqui o imenso apreço pela Língua Portuguesa, uma das razões que justificam a existência da nossa academia. Língua que cruzou o oceano para criar raízes na mistura do Tupi guarani, com os índios, os africanos e todos que imigraram para nosso país………. O nosso compromisso então é cuidar regando as letras para serem transformadas em poesia, poemas, contos em produção literária através dos livros com suas asas imaginarias prestando o culto à literatura e aos livros que são essenciais para a educação do povo. Sem educação, não existirá o amanhã. A Academia Dorense Letras como tenho o costume de partilhar com os confrades e confreiras estamos carregando um piano de calda, que pesa 500 kl, e quando estivermos cansados vamos parar e imaginar que tocaremos O Guarani de Carlos Gomes e as Bachianas Brasileiras n.º 5 uma composição clássica escrita por Heitor Villa-Lobos e a seguiremos tocando em frente. 

A Academia Dorense de Letras não está alheia ao que se passa ao seu redor. Sabe ler a realidade com sagacidade e compaixão. Não desconhece os imensos desafios postos ao mundo em que vivemos. Solidária, participa da vida da comunidade com a disposição de prestar serviços que sejam relevantes. Para isso, temos uma sede provisória onde preservamos a memoria Dorense, e muitas vezes saímos nas visitas às escolas promovendo quintas feiras, Literária apoiando jovens escritores e com muita luta produzindo a literatura Dorense divulgando a historia do nossa gente não esquecendo os artistas plásticos, artesões, cantores e musicistas.

Neste momento reverencio o primeiro presidente Prof. João Paulo de Araújo Carvalho por dois mandatos e o Prof. Luís Carlos de Jesus também por dois mandatos a qual tenho um apreço e admiração por terem conduzidos tão bem a nossa Arcádia solidificando cada vez mais, não se esquecendo de registrar o apoio dos confrades e Confreiras que compõe a nossa Academia aqui presente e os que estão distante gratidão a todos pelo comprometimento com as letras e as artes da nossa gente.

Como visto minha responsabilidade não é pequena. Só aceitei a convocação de meus confrades e confreiras, porque sabia que podia contar com eles. Jamais me atreveria a exercer a sua presidência sem o sólido amparo de toda a quem, mais uma vez, agradeço a confiança. Durante os próximos dois anos, não pouparei esforços para dar a nossa Academia o que ela merece, caminharemos juntos e com certeza terei ao meu lado as coirmãs Academia de Gloriense de Letras, Academia Estanciana de Letras, Academia Cristinamopolitana Academia Canidenense de Letras de Letras aqui representadas e todas as nossas coirmãs, nesta luta incansável pelas letras, pelas artes de maneira radical e apaixonada.

GRATIDÃO A DEUS! O GRANDE AUTOR DA VIDA E DE TODA A CRIAÇÃO DO MUNDO.

GRATIDÃO aos meus familiares de modo particular o meu Filho a minha grande obra permitida por Deus.

GRATIDÃO as Missionarias de Santo Antônio Maria Claret a minha querida família Religiosa

GRATIDÃO a todos os presentes e ausentes que nos acompanha pelas rédeas sócias e no coração.

Muito Agradecida!

Professora Maria de Lourdes Santos Cerqueira – Prof.ª Lulu

Cadeira nº 1 (Cônego Miguel Monteiro Barbosa)

 

Veja também imagens do evento:

Por Cláudio Hiroshy

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.