Anti-Bolsonarismo em 2022 será maior que antipetismo de 2018, avaliam cientistas políticos


Aceitação a Lula em Sergipe é a maior do país.

Jair Messias Bolsonaro (PL) é reprovado por 2 de cada 3 brasileiros, segundos pesquisa do Poder Data. Além disso, Sergipe é o estado onde Lula possui mais aceitação. Mas o objeto dessa análise não é o lulismo, mas, sim, o antibolsonarismo, que, segundo pesquisa o Poder360, em 2022, será maior que o antipestismo de 2018. Tal cenário poderá eleger candidatos que se posicionem contra o presidente.

Em Sergipe o pré-candidato Fábio Mitidieri busca associar sua imagem a Lula, mesmo com o PT trazendo seu próprio pré-candidato ao Governo do Estado, o senador Rogério Carvalho. Esse mesmos governistas que terão Laércio Oliveira (PP) e André Moura (UB) em sua base, com histórico de oposição ao PT no Congresso Nacional, forçam uma comunicação por conveniência, mas que não se encaixa.

Por outro lado, surge Jackson Barreto que começou sua vida política com viés que condiz com a posição pró-Lula, mas no decorrer de sua trajetória política foi aliado da direita e oscilou do centro para esquerda, o popular centrão. Sempre agindo como convém. De fato, legitimamente anti-Bolsonaro em Sergipe, dentre os pré-candidatos ao Senado Federal, só há Henri Clay Andrade (PSOL). Na outra ponta temos todos candidatos ligados a direta, seja a Moro, como Danielle Garcia (Pode) ou Laércio Oliveira (PP), bolsonarista.

Bolsonaro deverá crescer e consequentemente transferir votos para seu pupilo Laercio Oliveira. E como ficarão os votos do anti-bolsonaista do estado? Todos deverão criar discursos pró-Lula para assuirem essa posição, mas de fato, hoje, apenas Henri Clay tem uma trajetória de lutas que condiz com esse discurso.

Fonte: Jornal Sergipe

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.