Avô acusado de abusar sexualmente de 12 netos é preso em Sergipe


Segundo a família, casos só foram descobertos após uma das vítimas entrar em depressão.

Um idoso de 77 anos, acusado de abusar sexualmente de 12 netos, foi preso na própria residência, na cidade de São Cristóvão (SE), na última segunda-feira (22). A informação foi confirmada nesta quinta-feira (25) pela Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE).

Segundo a SSP, durante as investigações foram ouvidas cinco vítimas, as outras sete por motivos pessoais optaram por não formalizar a denúncia.

O homem foi a julgamento em 2017, teve decretada a pena de 20 anos de prisão, sendo reduzida para 17, e estava respondendo ao processo em liberdade. Ele está preso no Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho, no Bairro Santa Maria, em Aracaju, onde vai cumprir pena pelo crime de estupro de vulnerável.

Uma mãe de três vítimas, que prefere não se identificar, disse que ninguém da família suspeitava dos abusos. “Ele era livre de qualquer suspeita. Um bom vizinho, marido e pai. Até quando tudo foi descoberto muitas pessoas não acreditaram”, relatou.

Ainda segundo ela, a avó sabia dos abusos e tentava afastar o marido das crianças. “Tinha algumas netas que moravam no interior e que pediam para passar férias com ela e ela sempre negava. Ele é que fazia questão que os netos estivessem na casa deles”, lembra.

A descoberta dos abusos aconteceu em 2015 após uma das netas do suspeito entrar em depressão. “Após vir o avô com uma criança no colo ela recordou todos os abusos sofridos desde os três anos de idade. E contou para uma psicóloga e para a mãe dela”.

Depois do primeiro caso ser revelado o assunto começou a ser conversado entre os parentes. “A mãe da menina me contou a situação na frente da minha filha, que chorou e disse que também era vítima do avô. E foi assim que todos os outros netos souberam e confirmaram que também foram abusados, incluído meus três filhos”, desabafou.

Após a descoberta, os familiares procuraram o homem que disse que se o caso se tornasse público a família iria acabar. “Eu e uma das vítimas denunciamos o caso ao Conselho Tutelar, o tempo passou e depois fomos a polícia e levamos ao conhecimento do Ministério Público. Em 2017, ele foi condenado a 17 anos de prisão, mas estava respondendo em liberdade, somente agora foi preso. Resolvi falar sobre o assunto para que vítimas de violência tenham coragem de denunciar e que os pais fiquem atentos”, finalizou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.