Casal de pastores acusado de matar mulher chega a Sergipe


O casal de pastores, Reginaldo Ferreira da Silva e Leonice Ferreira Martins, e seu filho, Paulo Henrique Ferreira da Silva, investigados pela participação no homicídio por espancamento de Edjane de Jesus Silva, 35, chegaram na noite desta quinta-feira, 31, em Sergipe. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Segundo a SSP,  o crime, que está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ocorreu no dia 3 de julho de 2020, no conjunto Marivan, bairro Santa Maria, em Aracaju.

Nesta sexta-feira, 1º, uma equipe de policiais do DHPP seguiu para um canavial no município de Teotônio Vilela (AL) para tentar encontrar o corpo da vítima. Pai e  filho apontarem a provável localização onde ocultaram o corpo da vítima, mas até o momento não foi localizado. O trabalho de escavação do terreno segue com a ajuda de funcionários da Prefeitura da cidade. O delegado Mário Leony, responsável pelo inquérito policial, conduz pessoalmente as buscas pelo corpo de Edjane, conta a SSP.

Ainda segundo a SSP,  as investigações apontaram que após o homicídio, o corpo da vítima foi transportado no automóvel de Reginaldo, durante a madrugada, para o interior de Alagoas, onde foi queimado e enterrado no canavial. A investigação mostrou que a ocultação e destruição do corpo da vítima contou com a participação do filho mais velho do casal, bem como um adolescente que morava com a família.

Após o crime, os investigados fugiram para o interior de Sergipe, município de Riachuelo, depois seguiram para cidade de Birigui, interior de São Paulo. As investigações contaram com o apoio da 9ª Delegacia Metropolitana, Divisão de Inteligência (Dipol) e o apoio operacional da Polícia Civil do Estado de São Paulo.

A Polícia Civil informa que diligências ainda estão em andamento e informações detalhadas serão repassadas após a conclusão do inquérito policial.

*Com informações da SSP

Fonte: Infonet

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.