Edivan Amorim manda que Alessandro Vieira e Fábio Mitidieri procurem a justiça se acham que foram caluniados, mas avisa: “tenho as provas”


O diretório estadual do Partido Liberal publicou duas notas públicas nas quais revela bastidores da campanha eleitoral desse ano. As notas são endereçadas para o senador Alessandro Vieira (PSDB), derrotado no pleito, e Fábio Mitidieri (PSD), candidato governista que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, mas disputa o segundo turno devido ao não julgamento dos embargos de Valmir de Francisquinho (PL), que ocasionou a nulidade dos seus votos, mesmo ficando em primeiro colocado na disputa.

As notas são assinadas pelo presidente estadual do PL, Edivan Amorim. A Alessandro, Edivan deixa claro que foi ele que procurou o partido para que o agrupamento o apoiasse na disputa ao Governo de Sergipe. Ele também revelou que o senador ligou várias vezes para o TSE a fim de garantir que o julgamento do registro de candidatura de Valmir ocorresse sem que fossem julgados os embargos.

“E o resultado, todos sabemos: o julgamento dos embargos acabou ficando para depois (como era o desejo do senador), e Valmir foi absorvido por 6 a 1 no TSE. Não fosse isso, Valmir teria sido eleito Governador no primeiro turno e Eduardo Amorim, Senador da República”, afirma o presidente do PL na nota.

Em relação a Fábio Mitidieri, Edivan Amorim revela todas as tentativas que ele fez para que Valmir o apoiasse em seu projeto. Inclusive uma reunião que ocorreu na casa do pai do candidato, o ex-deputado Luiz Mitidieri, e o que aconteceu após esse encontro com a negativa do grupo em dar apoio à sua candidatura.

“Dali para frente, com aquela negativa de apoio a Fábio, começou o calvário de Valmir por conta de um processo por uso da cor azul, quando o mesmo foi prefeito de Itabaiana. Como presidente estadual do PL, acompanhei toda a ação, indo 21 vezes em Brasília, tendo conhecimento de todas as tratativas jurídicas e políticas que fizeram com o objetivo de tirar Valmir da disputa”, revela Edivan Amorim.

Em ambas as notas, o presidente do PL diz a Alessandro e Fábio que se eles se sentirem ofendidos ou caluniados, que procurem a Justiça que ele (Edivan) levará para qualquer tribunal, todas as provas do que afirmou nas notas e testemunhas que comprovarão o que foi dito.

POR ASCOM/PL

Fonte: FaxAju

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.