Primeiro ato da nova procuradora-geral da PGR reforça a tese de Golpe.


ÉPOCA: só dois procuradores do atual grupo de trabalho da Lava Jato serão mantidos.

Raquel Dodge, nomeada pelo Presidente Michel Temer para o cargo de Procuradora Geral da República, parece retribuir o favor da nomeacão e em seu primeiro ato trocará quase toda a equipe de procuradores da Operacão Lava Jato.

De acordo com Época, a nova procuradora-geral, Raquel Dodge, decidiu dar um prazo de 30 dias para a saída da equipe de Rodrigo Janot da Lava Jato.

Época diz ainda que teve acesso à minuta da portaria que será publicada por Dodge após sua posse, na segunda-feira (18).

Recordando o diálogo gravado entre o senador Romero Jucá e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, onde Jucá deixa claro que para parar a Operação Lava Jato seria necessário fazer um grande pacto nacional, derrubando Dilma, colocando Temer e incluindo o Supremo no acordo, faz transparecer que o ‘pacto nacional’ está em curso.

Para a esquerda, após o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, uma agenda ultra-conservadora foi implantada pelo presidente Temer, com a retirada de direitos dos trabalhadores, diminuição de benefícios sociais e tentativas de reformas regressistas.

Com essa mudança radical na equipe de procuradores da Lava Jato, Dodge levanta novamente a tese de que um golpe foi planejado e está em curso no Brasil. O antecessor Rogrigo Janot, denunciou o presidente Temer por organização criminosa antes de deixar o cargo. E a atual procuradora terá um grande desafio pela frente. Provar que não está à serviço de Temer, que a nomeou e, que continuará o trabalho iniciado por Janot.

 

Por Cláudio Hiroshy

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.